segunda-feira, 26 de novembro de 2012

A AMBIEDUCA acompanha passeio micológico em Alfândega da Fé

A AMBIEDUCA foi convidada a colaborar com a Associação Micológica A PANTORRA para acompanhar uma saída de campo em Alfândega da Fé. Fica aqui o link da reportagem da TVI.


quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Curso GRATUITO de Introdução à Sustentabilidade



Introdução à Sustentabilidade
Jonathan Tomkin
Este curso apresenta a disciplina acadêmica da sustentabilidade e analisa como as sociedades humanas de hoje pode suportar em face da mudança global, a degradação do ecossistema e as limitações de recursos.

domingo, 24 de junho de 2012

ONU publica documento final da Rio+20


Texto criticado por ONGs está disponível para download na página das Nações Unidas

A ministra Isabella Teixeira e a presidente Dilma Rousseff na delegação brasileira ao lado do ministro Antonio Patriota - Pieter Zalis/UNIC Rio
O documento final da Rio+20, intitulado O Futuro que Nós Queremos, foi publicado na página da conferência, nos idiomas oficiais das Nações Unidas – inglês, francês, espanhol, chinês e árabe. O texto é o mesmo, salvo pequenos ajustes que não alteram seu conteúdo, daquele apresentado na terça-feira pela manhã, recebido com vaias no momento da apresentação pelo ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota.

O resultado, em última análise, resume-se a uma longa lista de promessas para avançar para uma "economia verde", que freie a degradação do meio ambiente, combata a pobreza e reduza desigualdades. Não são apontadas origens dos recursos para se realizar essa transformação – os meios de implementação –, o que de certa forma, repete um dos problemas da histórica antecessora, a Rio 92.

Entidades da sociedade civil denunciam o "fracasso" e a falta de ambição da conferência. “O acordo final é abstrato e não corresponde à realidade", afirmou Kumi Naidoo, do Greenpeace Internacional, um dos 36 ativistas que se reuniram com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, na tarde desta sexta-feira, para entregar um documento com críticas das ONGs ao documento.

"O que vemos aqui não é o mundo que queremos, é um mundo no qual as corporações poluidoras e aqueles que destroem o meio ambiente dominam", completou, com a esperada agressividade que marca as posições do grupo.

LEIA TAMBÉM:

O documento final que será adotado pelos líderes mundiais cita as principais ameaças ao planeta: desertificação, esgotamento dos recursos pesqueiros, contaminação, desmatamento, extinção de milhares de espécies e aquecimento global, catalogado como "um dos principais desafios de nossos tempos".

"Renovamos nossos compromissos com o desenvolvimento sustentável, para garantir a promoção de um futuro economicamente, socialmente e ambientalmente sustentável para nosso planeta e para gerações futuras e presentes", diz o rascunho do texto final de 53 páginas.

"Para 2030, precisamos de 50% mais alimentos, 45% mais energia e 30% mais água apenas para viver como vivemos hoje", advertiu Ban Ki-Moon, durante a reunião com as ONGs. Para 2050, estima-se que a população mundial será de 9,5 bilhões de pessoas.

Mulheres – A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, lamentou nesta sexta-feira que a defesa dos direitos reprodutivos da mulher - seu direito a decidir se tem ou não filhos - tenha ficado de fora do texto final, um pedido também feito por outras líderes como a presidente Dilma Rousseff.

Hillary substituiu na cúpula o presidente Barack Obama, que não foi ao encontro. A chanceler alemã, Angela Merkel, e o britânico David Cameron também estiveram ausentes. A ausência dos três líderes é, esta sim, uma lacuna que marcará a história das conferências mundiais sobre meio ambiente.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Cúpula dos Povos promove debate sobre educação para sustentabilidade


Durante a Cúpula dos Povos, na Rio+20, jovens representantes de organizações não governamentais, religiosos e pesquisadores de diferentes países debateram a educação como chave para um mundo mais justo e sustentável. A atividade foi realizada na segunda-feira, 18 de junho.
O debate contou com jovens de diferentes países/Foto: Fora do Eixo

Durante a Cúpula dos Povos, na Rio+20, jovens representantes de organizações não governamentais, religiosos e pesquisadores de diferentes países debateram a educação como chave para um mundo mais justo e sustentável. A atividade foi realizada na segunda-feira, 18 de junho.
Programas do governo brasileiro como o Mais Educação (educação integral), e o Ciência sem Fronteiras (intercâmbio de estudantes), foram citados como boas experiências de como levar o ensino além das formalidades da escola. “Conhecer e compartilhar experiências é o que podemos tirar de mais proveitoso nesta conferência”, afirmou ao portal Educação, do MEC, o belga Tobias Troll, representante da ONG europeia Concord e mediador do debate.
O secretário-geral da Kehys Ry (entidade que agrega ONGs da Finlândia), Rilli Lappalainen, comentou sobre ações na área educacional de seu país que o levaram ao topo do ranking no Programa de Avaliação Internacional de Estudantes (Pisa). Entre elas, universalização do ensino público e um bom sistema de formação de professores.
“No que se refere à condução de políticas públicas em educação, é preciso ser flexível e radical ao mesmo tempo: radical para manter um alto nível de qualidade educacional e flexível na adaptação do ensino à realidade de cada país ou comunidade”, opinou o espanhol Javier Collado, da associação Educar para Viver.
Para o japonês Katsuji Imata, do instituto Civicus, a educação tem que chegar aonde as pessoas estão, por mais difícil que seja o acesso. “E esse é um papel que cabe aos governos, com controle social. Além disso, é preciso fazer uma ponte entre a educação formal e a não formal, que tem maior poder de alcance, lançando mão de diversas ferramentas, como a televisão e a internet, por exemplo”, afirmou.
A atividade também contou com a presença de participantes de Bangladesh, Portugal, Eslováquia e França.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

O Conselho de Ministros aprovou a proposta da nova Lei de Bases do Ambiente (LBA).


A proposta segue a linha associada aos vinte e cinco anos de existência da Lei de Bases do Ambiente, com a abertura aos novos conhecimentos permitidos pelos extraordinários avanços científicos. De igual modo, a agenda dos riscos e das tarefas sofre alterações no enfoque e na escala de prioridades.
Na proposta de Lei de Bases do Ambiente, procurou-se atender aos aspetos essenciais, privilegiando as questões de princípio e de método, não enumerando os instrumentos de planeamento, ou os institutos jurídicos específicos, mas antes as funções e objectivos que estes deverão servir.
De salientar que a transversalidade é tomada como um vetor essencial, considerando que a política de ambiente, mais do que uma política específica, é um método de fazer política em geral nas sociedades contemporâneas ameaçadas por perigos globais e existenciais.
Esta proposta de Lei de Bases do Ambiente deve ser entendida como a consagração da aliança indispensável entre os deveres do Estado e as tarefas da cidadania ambiental, uma aliança que é a chave do nosso futuro comum.
São definidos com objetivos da política de ambiente a efetivação dos direitos ambientais pela promoção do desenvolvimento sustentável, suportada na gestão adequada do ambiente, em particular dos ecossistemas e dos recursos naturais, de modo a assegurar o bem-estar e a melhoria progressiva da qualidade de vida dos cidadãos.
Compete ao Estado a realização da política de ambiente, tanto através da ação direta dos seus órgãos e agentes nos múltiplos níveis de decisão local, regional, nacional, europeu e internacional, como através da mobilização e da coordenação de todos os cidadãos e forças sociais, num processo participado e assente no pleno exercício da cidadania ambiental.
Na proposta de Lei de Bases do Ambiente são ainda definidos direitos processuais, nomeadamente: o direito de ação para defesa de direitos subjetivos e interesses legalmente protegidos, de ação pública e de ação popular; o direito a promover a prevenção, a cessação e a reparação de violações a bens e valores ambientais; e o direito a pedir a cessação imediata da atividade causadora de ameaça ou dano ao ambiente, bem como a reposição da situação anterior e o pagamento da respetiva indemnização.
A nova proposta de lei aborda ainda temas como o espaço marítimo e o clima.

Fonte: Governo de Portugal

quarta-feira, 13 de junho de 2012

A conferência do Rio + 20 dá hoje o pontapé de saída


Fosso Norte-Sul ensombra cimeira da ONU sobre desenvolvimento sustentável

Fosso Norte-Sul ensombra cimeira da ONU sobre desenvolvimento sustentável
Hoje deu-se início à Cimeira da ONU sobre desenvolvimento sustentável, embora o desenvolvimento sustentável não estará no centro da cimeira a nova palavra de ordem é a Economia Verde que a meu ver não levará a bom porto os destinos do nosso planeta e consequentemente da nossa sociedade.


Transcrevo um comentário a um artigo publicado na Ecosfera que considero relevante:

“Rico é alguém com excesso de liberdade de aceder aos meios, pobre é alguém com carência de liberdade para aceder aos meios. Rico e pobre não são termos económicos, são invenções de merceeiros para designar a quem eles dão excesso de liberdade e a quem eles retiram liberdade. O planeta é o mesmo tanto para ricos como para pobres, os merceeiros é que fazem a diferença no acesso aos meios. Os merceeiros e as suas invenções estão a mais. Para se ter economia é necessário conhecer o funcionamento da espécie humana, e não do jogo boçal que é o mercado. A saúde da espécie humana é o patamar de economia máximo dessa espécie, pq não há perdas com patologias sociais como o mercado (chantagem mercantil). Todo o poder é decorrente de uma destruição económica, sempre que há problemas de economia é uma questão de procurar o poder, porque é o poder (poderosos e servos de poderosos) que a está a destruir. Economia não é domínio de merceeiros, os merceeiros apenas percebem de chantagem mercantil, cortam o acesso aos meios e exigem ser pagos por isso. Enquanto houver mercado não há economia. Economia verde é um pleonasmo. +Progresso= -Ecossistemas :. +Progresso= -Economia, o caminho não é por aí.”
Por Epicuro - 
Fonte: Ecosfera

Apesar da relevância mediática e política da Cimeira RIO +20 não se espera um grande resultado pois quem está e estará mais empenhado na mudança necessária é a sociedade civil e esta, estará reunida no mega-encontro a Cúpula dos Povos. Este evento que funcionará em paralelo com a Cimeira do Rio + 20 deverá ser acompanhado com especial interesse.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Uma música para celebrar o Dia dos Oceanos

Dia Mundial dos Oceanos 8 de Junho


O Dia Mundial dos Oceanos é uma oportunidade para refletirmos sobre o papel que os oceanos desempenham na nossa vida e no equilíbrio do planeta.

Através da resolução 63/111 de 5 de dezembro de 2008, a Assembleia Geral das Nações Unidas designou o dia 8 de junho como o Dia Mundial dos Oceanos. Este ano, pretende-se chamar a atenção dos jovens para a sua proteção através da escolha do tema “Juventude: A próxima onda para a mudança”.
Os oceanos, que cobrem mais de 70% da superfície da Terra, desempenham um papel vital nas nossas vidas e no equilibro do planeta. Para além de serem o habitat de uma grande diversidade de vida marinha, ajudam na regulação do clima e são responsáveis pela prestação de vários serviços ao Homem, que vão desde o fornecimento de alimento à produção de oxigénio. Cerca de 70% do oxigénio libertado para a atmosfera é produzido pelo fitoplâncton, o que torna os oceanos o grande pulmão do mundo.
Atualmente a sobrepesca de algumas espécies, a destruição de habitat, a poluição, a introdução de espécies exóticas invasoras e as alterações climáticas têm colocado os oceanos sobre grande pressão.
A celebração do Dia Mundial dos Oceanos é uma oportunidade para refletirmos sobre a importância dos oceanos na nossa vida e no equilíbrio do planeta. É fundamental agirmos em prol da sua proteção para assegurar a manutenção da sua biodiversidade e o nosso futuro.  
*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Fonte: Naturlink

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Formação de Educação Ambiental - Um espaço de reflexão e partilha

Foi com imenso agrado que a AMBIEDUCA co-organizadora do evento Formação Avançada em Educação Ambiental animou  a sessão de formação, promovendo uma reflexão em torno da atividade de Educação Ambiental e partilhando experiências e algumas ferramentas úteis para a prática.
A participação de Álvaro Pantoja ( Universidade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto) foi determinante para a reflexão e  contextualização do Educador Ambiental  como actor neste Mundo complexo e em mudança. As práticas pedagógicas também foram abordadas e sem dúvida que um nova forma de fazer educação com base na educação expressiva é urgente para envolver os alunos afectivamente  nos problemas.
Na  parte da tarde foi a vez de se aprender com  base na experiência e apresentação de casos práticos.
Pedro Teiga ( Projeto Rios) apresentou com o seu entusiasmo, que o caracteriza, o fantástico trabalho desenvolvido em torno da sensibilização e acompanhamento dos rios.
Alexandre Ventura (Lipor) apresentou e Educação na Lipor que desenvolve um excelente trabalho em torno da educação para a gestão de resíduos e se posiciona como um dos principais agentes na implementação de projetos e boas práticas em Educação Ambiental.
Cândida Rocha (APEA) apresentou o projeto Olimpíadas do Ambiente  e anunciou o vencedor no Concurso deste Ano letivo o Colégio Valsassina, os próprios alunos apresentaram o fantástico projeto que levou à atribuição do prémio, um Sistema de Gestão Ambiental Escolar que permite ao mesmo tempo ser uma ferramenta de gestão muito importante na monitorização de consumos e desempenho da instituição e articular como uma ferramenta pedagógica , envolvendo os alunos no trabalho de gestão e de implementação de medidas que contribuem para baixar a pegada de carbono da escola e envolver toda a comunidade escolar nessa missão.
No final os participantes puderam visitar as instalação da Compostagem Industrial e a horta pedagógica "Horta da Formiga" como um complemento pedagógico à ação de Formação.


Sem dúvida uma iniciativa muito enriquecedora e produtiva no que toca à promoção e divulgação da Educação Ambiental. 

quinta-feira, 24 de maio de 2012

CONVITE para Seminário de Educação Ambiental


A AMBIEDUCA vem por este meio enviar um CONVITE (gratuito) para assistir ao Seminário, para tal terá que enviar um e-mail para ferrazmarco@gmail.com ou marcoferraz@ambieduca.com.pt indicando o seu nome. Mais informações: Programa, Localização AQUI

sexta-feira, 11 de maio de 2012

A AMBIEDUCA foi convidada para abrir a conferência Sustentabilidade nas Escolas, sobre o desafio O que é o Desenvolvimento Sustentável ? Marco Ferraz apresentou a sua perspectiva e lançou sugestões e ações para  promover  e  implementar a sustentabilidade nas escolas. mais informação


segunda-feira, 7 de maio de 2012

Seminário de Formação Avançada - Educação Ambiental - Fontes, Recursos e Ferramentas, 26 de Maio, Lipor, Baguim do Monte

A AMBIEDUCA em parceria com a Associação Portuguesa de Engenharia do Ambiente vai dinamizar o Seminário de Formação Avançada- Educação Ambiental. Para todos os interessados na matéria que queiram receber e partilhar conhecimento fica aqui o convite.
9H15 | Sessão de Abertura 

9H30 | Sessão de Formação: Educação Ambiental - Fontes, Recursos e Ferramentas para a Prática 

Formador: Marco Ferraz, Educador e Gestor Ambiental da AMBIEDUCA

- Origem, evolução e objectivos da Educação Ambiental;
- Inspiração e os valores para o desenvolvimento de ações.
- Recursos para a prática de Educação Ambiental;
- Metodogias pedagógicas da Educação Ambiental;
- Sensibilização e Educação Ambiental – Importância e relação com a Gestão Ambiental;
- Factores críticos de sucesso da Sensibilização e Educação Ambiental;

12H30 Perguntas e Respostas

13h00 Almoço Livre

14h00 Apresentação de Casos práticos de Educação Ambiental


- Olimpíadas da Energia e Alterações Climáticas - Cândida Rocha, APEA

- Projeto Rios e Educação para a Sustentabilidade - Pedro Teiga, Projeto Rios

- Educação Ambiental na Lipor - Alexandre Ventura, Lipor

-Importância da Aprendizagem Criativa na Educação Ambiental - Álvaro Pantoja, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto

-As visitas eco-sociais como instrumento de sensibilização ambiental e consciencialização cívica - Pedro Jorge Pereira, Formador e Coordenador de Projectos Eco-Sociais e dinamizador do projecto Porto de Encontros 
16h00 Visitas à Horta da Formiga e Central de Valorização Orgânica da Lipor

18h00 Encerramento

Inscrições no Seminário

Entrada gratuita para sócios com quotas em dia! Descontos para membros da RNAE, APEMETA, BCSD Portugal, APAI e Ordem dos Engenheiros.

INSCREVA-SE JÁ

Solicitar CONVITE





quinta-feira, 26 de abril de 2012

A AMBIEDUCA na NEWCOMERS WEEK

A AMBIEDUCA a convite da Associação Terra na Boca esteve presente no dia 25 de Abril no Auditório com o círculo de conversa sobre Ecologia e a Importância da Educação para a Sustentabilidade.  Com a presença de pais e filhos, professores  e outros interessados no debate falou-se da necessidade da re-educar e re-encantar a educação por forma a se tornar uma aprendizagem mais significativa e adaptada às necessidades actuais. 
A AMBIEDUCA mostrou-se disponível para colaborar com pais e escolas no desenvolvimento de ações que contribuem para aumentar a percepção dos alunos para os problemas ambientais e re-conectar  os alunos aos elementos e ciclos naturais



A Newcomers Week – Semana da Juventude foi concebida a pensar na juventude e no seu futuro, proporcionando aos jovens uma viagem de percursos / interesses que reflectem o seu estilo de vida. Esta iniciativa apresentará características inovadoras e uma grande variedade de actividades paralelas, design, desfiles, dança urbana, entre outras. BELIVES será a temática comum que unirá todos os eventos que decorrerão na Exponor de 24 a 29 de Abril.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

A AMBIEDUCA na Feira de Ciência 2012

A AMBIEDUCA  a convite do Centro de Ciência Viva de Vila do Conde esteve presente na VI Feira da Ciência que  se realizou nos dias 19,20,21 e 22 de Abril.
A Feira que se realiza anualmente, reúne alguns Centros de Ciência Viva espalhados pelo país, Centros de Divulgação Científica, Escolas da região de Vila do Conde e outros agentes que tal como a AMBIEDUCA contribuem para a comunicação, ensino e divulgação das ciências.
A AMBIEDUCA preparou para a exposição algumas atividades educativas que animaram as escolas e as famílias assim como outros curiosos que nos visitaram.A mini horta pedagógica, a estação espacial com a fantástica astronauta (vaca Amélia), a exposição de fornos solares, alguns kits pedagógicos de baixo custo como é o caso do Ciclo da Água e o pequeno lago para sensibilizar os mais pequenos para a importância destes ecossistemas onde  de nenúfares mágicos apareciam sapos, salamandras, libelinhas e outros animais todos eles importantes para o equilíbrio do ecossistema.

Deixo um vídeo da feira para poderem espreitar o nosso stand.





domingo, 22 de abril de 2012

Hoje é o Dia da Terra



Dia da Terra foi criado pelo senador americano Gaylord Nelson, no dia 22 de Abril de 1970.
Tem por finalidade criar uma consciência comum aos problemas da contaminação, conservação da biodiversidade e outras preocupações ambientais para proteger a Terra.
História
A primeira manifestação teve lugar em 22 de abril de 1970. Foi iniciada pelo senador Gaylord Nelson, ativista ambiental, para a criação de uma agenda ambiental. Para esta manifestação participaram duas mil universidades, dez mil escolas primárias e secundárias e centenas de comunidades. A pressão social teve seus sucessos e o governos dos Estados Unidos criaram a Agencia de Proteção Ambiental (Environmental Protection Agency) e uma série de leis destinadas à proteção do meio ambiente.
  • Em 1972 se celebrou a primeira conferência internacional sobre o meio ambiente: a Conferência de Estocolmo, cujo objetivo foi sensibilizar aos líderes mundiais sobre a magnitude dos problemas ambientais e que se instituíssem as políticas necessárias para erradicar-los.
  • O Dia da Terra é uma festa que pertence ao povo e não está regulara por somente uma entidade ou organismo, tampouco está relacionado com reivindicações políticas, nacionais, religiosas ou ideológicas.
  • O Dia da Terra refere-se à tomada de consciência dos recursos na naturais da Terra e seu manejo, à educação ambiental e à participação como cidadãos ambientalmente conscientes e responsáveis.
  • No Dia da Terra todos estamos convidados a participar em atividades que promovam a saúde do nosso planeta, tanto a nível global como regional e local.
  • "A Terra é nossa casa e a casa de todos os seres vivos. A Terra mesma está viva. Somos partes de um universo em evolução. Somos membros de uma comunidade de vida independente com uma magnífica diversidade de formas de vida e culturas. Nos sentimos humildes ante a beleza da Terra e compartilhamos uma reverência pela vida e as fontes do nosso ser..."
Surgiu como um movimento universitário, o Dia da Terra se converteu em um importante acontecimento educativo e informativo. Os grupos ecologistas o utilizam como ocasião para avaliar os problemas do meio ambiente do planeta: a contaminação do ar, água e solos, a destruição de ecossistemas, centenas de milhares de plantas e espécies animais dizimadas, e o esgotamento de recursos não renováveis. Utiliza-se este dia também para insistir em soluções que permitam eliminar os efeitos negativos das atividades humanas. Estas soluções incluem a reciclagem de materiais manufaturados, preservação de recursos naturais como o petróleo e a energia, a proibição de utilizar produtos químicos danosos, o fim da destruição de habitats fundamentais como as florestas tropicais e a proteção de espécies ameaçadas. Por esta razão é o Dia da Terra.
Este dia não é reconhecido pela ONU.
Fonte: Wikipédia

terça-feira, 10 de abril de 2012

Bunker Roy: Aprendendo com a Universidades de pés-descalços



Em Rajasthan, na Índia, uma escola extraordinária ensina mulheres e homens do meio rural - muitos deles analfabetos - a tornarem-se engenheiros solares, artesãos, dentistas e médicos nas suas próprias aldeias. Chama-se Universidade dos Pés-Descalços, e o seu fundador, Bunker Roy, explica como funciona.

sexta-feira, 30 de março de 2012

Comemoração do Dia Mundial da Saúde

No sentido de comemorar o dia Mundial de Saúde e visto que 2012 é o Ano do Envelhecimento Ativo e Solidariedade entre Gerações, a USF BOM PORTO em colaboração com outros parceiros, preparou um programa de atividades que irá realizar no dia 05 de abril juntamente com a comunidade envolvente.
Assim a USF BOM PORTO ambiciona proporcionar às crianças e idosos pertencentes a área de abrangência, um dia diferente no âmbito do dia mundial da saúde, proporcionando-lhes informações sobre o Envelhecimento e Saúde, através de uma educação para a saúde e atividades lúdicas alusivas ao tema.
Com esta comemoração pretende-se que a população participante compreenda que o envelhecimento acontece desde o momento da fecundação, ao longo do ciclo de vida e o facto de se manterem ativos proporciona bem-estar bio-psico-social. Consideramos importante que esta comunidade identifique o papel das diferentes instituições que existem na sua área de residência e que saibam que estas estão disponíveis para servir os cidadãos. Portanto, pretende-se que os participantes desenvolvam competências sociais e aptidões pessoais.
            A USF BOM PORTO, de forma lúdica e criativa irá desenvolver várias atividades, a iniciar às 14:30, nas instalações desta unidade de saúde, com uma palestra sobre o Envelhecimento e Saúde, após o seu término vai ser realizada uma caminhada com crianças e idosos até ao Jardim da Igreja Românica de Cedofeita, sempre acompanhados pelos agentes da PSP que realizam policiamento de proximidade, pertencentes a Esquadra da PSP DE CEDOFEITA.
A AMBIEDUCA, enquanto parceiro neste evento, disponibiliza jogos tradicionais e promove a interação entre gerações através de momentos divertidos Relembrando o passado a brincar no presente.
Não esquecendo a importância da uma alimentação saudável vamos realizar um lanche saudável para envelhecer com saúde.
A USF BOM PORTO deseja que este seja o primeiro de uma série de eventos que realizará com a comunidade da sua área de influência.

Fórum Regional da Água

A AMBIEDUCA na pessoa no ser coordenador Marco Ferraz esteve presente no Fórum Regional da Água que decorreu ontem  na Lipor.
Sob o tema RECUPERAR foi apresentada de uma forma geral o Plano de Gestão de Recursos Hídricos (PGRH-Norte) e foram criados grupos de trabalho no sentido de discutir as medidas presentes no plano e se possível apresentar novas para melhorar o referido plano.
No que toca em matéria de Educação Ambiental uma ferramenta essencial que deve seguir a par das intervenções técnicas de infraestruturas, ou medidas  de gestão ambiental foi reforçada a importância da Educação Ambiental e ficou como medida a incluir que o fundo de protecção de recursos hídricos que até agora só financia infraestruturas , que haja uma percentagem dessa taxa que passe a financiar projetos ou ações de Comunicação, Informação e Educação Ambiental realizados por escolas ou por outros agentes educativos. A AMBIEDUCA apoia a inclusão desta medida.
O processo de participação encontra-se aberto a toda a população até 3 de Abril de 2012 por isso PARTICIPE

terça-feira, 27 de março de 2012

Para Além do Voto um peça para celebrar o Dia Mundial do Teatro


No dia em que se celebra o Dia Mundial de Teatro recordo um vídeo de uma peça de Teatro desenvolvido em parceria com  a Universidade Católica que temcomo objectivo promover a Participação Pública.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Celebração do Dia Mundial da Água - Comemos mais Água que bebemos!!!

Para celebrar o Dia Mundial da água deixo aqui 2 links com recursos e informação de qualidade e uma imagem compilada com o consumo de água associado à produção de produtos. Pela análise das peças vamos celebrar com um cálice de vinho sempre é o produto que utiliza menor quantidade de água para a sua produção.


terça-feira, 20 de março de 2012

Formação de Animadores de Educação Ambiental em Abril/ Maio no Porto

clique na imagem para AUMENTAR
A AMBIEDUCA em parceria com a Beagle está a dinamizar  uma formação  que pretende proporcionar ferramentas a todas as pessoas que queiram desenvolver competências para atuar na área de Educação Ambiental de uma forma autónoma e profissional.
Os participantes que terminarem a formação com sucesso  vão integrar a bolsa de animadores da empresa Beagle e da marca AMBIEDUCA.
Clique aqui para conhecer o formador AMBIEDUCA - Marco Ferraz
Para mais informação pode enviar uma e-mail para geral@ambieduca.com.pt

sexta-feira, 16 de março de 2012

Alunos do 1º ciclo descobrem vantagens da agricultura biológica e da alimentação saudável


Agricultura Biológica e Alimentação Saudável foram os temas hoje abordados numa palestra que decorreu na Escola Primária da Boavista, em Arcozelo, organizada pela Divisão de Ambiente e Educação Ambiental da Câmara Municipal de Gaia e realizada no âmbito do Plano de Educação Ambiental proposto para o atual ano letivo.

A palestra, à qual assistiu uma centena de crianças, contou com o apoio da empresa 'Raízes', especializada em agricultura e produtos biológicos, e da Faculdade de Ciências da Nutrição da Universidade do Porto. 

"A iniciativa partiu da escola, nós apenas articulamos com eles esta ação. É nesta onda que temos vindo a trabalhar nos últimos dez anos. Estes níveis de participação são fruto do muito trabalho realizado. Há já um espírito de partilha entre a população e o Município", explicou Mercês Ferreira, Vereadora do Ambiente da Câmara de Gaia, que presidiu a abertura da sessão.

Nesta primeira palestra, as crianças tiveram a oportunidade de ouvir especialistas nas áreas em discussão. Carlos Grazina, representante da empresa 'Raízes', explicou aos alunos as diferenças entre a agricultura tradicional e a biológica e quais os seus benefícios para a saúde. Já a nutricionista Bárbara Pereira, por sua vez, enumerou os principais erros alimentares e incentivou boas práticas ao nível da alimentação. 

Segundo Bárbara Pereira, é mais fácil abordar estes assuntos com crianças do que com adultos: "É um primeiro contato com a agricultura e, por isso, conseguem mais facilmente assumir os conceitos básicos do que os próprios encarregados de educação, que já adquiriram certos 'vícios' ao longo da vida. Neste tipo de projetos, acredito que se deva começar com os mais pequenos para tentar, a partir daí, captar a atenção dos adultos".

Durante a sessão, as crianças puderam partilhar a experiência adquirida com a horta da escola e algumas delas revelaram que também começaram a criar hortas em casa, contado, para isso, com a ajuda dos pais. À margem da palestra, a Vereadora do Ambiente revelou a sua satisfação com a adesão da população às hortas comunitárias e anunciou a criação de mais três para breve. 
Texto e Fotografia: Filipa Namora
Supervisão: Manuel Neto
Fonte:Gaiaglobal.pt

quinta-feira, 15 de março de 2012

Para celebrar o Dia do Consumidor um guia interessante para download


A LIPOR - entidade responsável pela gestão, tratamento e valorização dos resíduos sólidos urbanos no Grande Porto - e a DECO - Associação Portuguesa de Defesa do Consumidor apresentam-lhe: “UM DIA DE CONSUMO SUSTENTÁVEL”
Este guia pretende despertar a consciência do impacto ambiental que provocamos todos os dias. Apresenta alguns gestos muito simples que podem transformar o consumo diário numa grande ajuda para melhorar o mundo que nos rodeia. Porque só existe uma Terra e todos dependemos dela para viver. Proteger o nosso modo de vida depende da certeza de que não gastamos mais do que a Natureza pode repor. O futuro do nosso planeta está nas nossas mãos e não há tempo a perder. Agir é um compromisso de todos nós, que ninguém pode recusar.
Fonte: BCSDPortugal

quarta-feira, 14 de março de 2012

Crise do Euro? A Europa está a ficar sem água e isso acaba com qualquer economia a produtividade


A forma ineficiente como o continente europeu lida com a água pode ameaçar mais a economia e produtividade da Europa que a crise do Euro. Segundo um estudo da EEA (European Environment Agency – Agência Europeia do Ambiente), os recursos aquáticos da Europa estão sob pressão e as coisas podem ainda ficar piores, à medida que os mantimentos limitados vão sendo gastos.
“O que é crítico é o facto de estarmos a ver um número cada vez maior de regiões onde os rios, por causa das alterações climáticas, estão a ficar sem água”, explicou Jacqueline McGlade, directora executiva da EEA.
Faça o download do estudo (em inglês).
A responsável disse que os países não acham prioritário implementar a legislação actual de uma forma mais efectiva, nem levar os seus cidadãos a mudarem a mentalidade em relação a um recurso como a água.
“Os Estados-membros precisam de ser mais claros em relação às oportunidades que têm para usar melhor este recurso escasso. Os países precisam de investir em diferentes tipos de métodos. Em vez de proibir as mangueiras para resolver o problema deste ano, precisam de investir de uma forma diferente”, explicou McGlade.
O estudo realça a grande diferença existente entre a forma como os países lidavam com um recurso, até agora, abundante, e traça cenários sobre o futuro da água na Europa, um futuro que não será cor-de-rosa devido às consequências das alterações climáticas.
Na União Europeia, a área da agricultura utiliza 25% da água obtida por meios naturais, um número que sobe até aos 80% no sul do continente (Portugal incluído). “Temos de procurar formas mais eficientes de utilização da água, como irrigação gota-a-gota e técnicas avançadas, por causa do custo da água potável e do seu encaminhamento para o cenário agrícola”, continuou a responsável.
Para além de consequências sociais e económicas, a utilização insustentável de água está a causar um impacto negativo nos ecossistemas.
Nos últimos dias, e sobretudo devido ao vasto período de seca que está a assolar, sobretudo, a Europa do Sul, vários especialistas e activistas têm chamado a atenção para a utilização ineficiente de água. Na segunda-feira, o ex-presidente soviético Mikhael Gorbachov (que é presidente da Cruz Verde Internacional) explicou que o deficit de água fresca estava a tornar-se um problema “cada vez mais severo e a uma larga escala”.
“Ao contrário de outros recursos, não há substituto para a água. Já não é possível continuarmos a consumir água aos níveis do século XX”, revelou.
Finalmente, o ex-governante revelou que as suas cinco décadas de experiência enquanto político convenceram-no que a crise global de água estava relacionada com as mudanças políticas e económicas contemporâneas.
“A economia tem de ser reorientada para objectivos que incluam bens públicos como o desenvolvimento sustentável, a saúde dos cidadãos, a educação, cultura e coesão social, incluindo a ausência de níveis entre os mais ricos e os pobres”, concluiu Gorbachov.
Ontem, sete empresas de água do sul e este inglês anunciaram proibições na utilização de mangueiras a partir de Abril, devido ao Inverno seco e escassas reservas de água.

Fonte: Greensavers

terça-feira, 13 de março de 2012

Lembra-se da menina que aos 12 anos calou o mundo na Rio-92? Hoje, ela é activista ambiental.


O nome Severn Cullis-Suzuki pode não lhe dizer muito mas, se vir este vídeo, certamente se lembrará de quem é. Ela é a menina que, com apenas 12 anos, fez um emotivo discurso durante a Rio-92, a Cimeira das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento, que se realizou há exactamente 20 anos na cidade brasileira.

Hoje, Cullis-Suzuki é activista ambiental e o Planeta Sustentável descobriu-a com as mesmas preocupações de há 20 anos. Ela fundou um grupo de crianças preocupadas com o meio ambiente, a ECO (Environmental Children’s Organization), é apresentadora de um programa de TV canadiano sobre água e povos indígenas e colabora com a WeCanada, uma rede independente de ONGSs que tenta despertar os canadianos em questões ambientais e de cobrança política.
Aos 12 anos, Cullis-Suzuki recebeu elogios de grande parte dos 108 chefes de Estado presentes no Rio-92, incluindo George Bush (Estados Unidos), François Mitterrand (França), Helmut Kohl (Alemanha) e Fidel Castro (Cuba). Com o aparecimento das redes sociais, sobretudo do YouTube, o discurso tornou-se finalmente famoso, contando hoje com mais de 13 milhões de visualizações.
“Vivo numa comunidade pequena e remota no arquipélago de Haida Gwaii (Ilhas da Rainha Carlota), oeste do Canadá. Aqui, somos completamente dependentes do meio ambiente para a nossa economia e alimentação. (…) É lugar lindo, mas há uma proposta para a construção de um oleoduto que ligará a província de Alberta à costa. Se isso acontecer, haverá um tráfego de petroleiros do meu país para a Ásia e derramamentos de petróleo serão apenas uma questão de tempo”, explicou a jovem.
Hoje, Cullis-Suzuki está preocupada com o Rio+20 e o papel da WeCanada. Sobre o que mudou nos últimos 20 anos, a activista ambiental destaca as “novas ferramentas de comunicação e relacionamento”. “Mas ainda não ganhámos em mobilização, na capacidade de relacionar uma grande quantidade de homens e mulheres. Enquanto isso, os nossos desafios ambientais só ficaram maiores, precisamos de lutar por um novo paradigma”, realça.
Cullis-Suzuki diz que hoje ainda recebe muitas cartas e e-mails de parabéns pelo discurso. “Isso mostra que, para mim, o País tem de ouvir os jovens. Eu sei que precisamos que as novas gerações do mundo se levantem e nos desafiem, falem a verdade e nos guiem para uma direcção melhor”, revela.
Finalmente, a pergunta fundamental: Imaginava que poderia mudar o mundo com o seu discurso? “Eu tinha 12 anos. E realmente acreditava que, se os líderes mundiais nos ouvissem, isso mudaria o mundo. mas a década após o Rio foi, sem dúvida, a pior em termos de acções globais pelo meio ambiente”, concluiu a menina, agora mulher.
Fonte: Greensavers

terça-feira, 6 de março de 2012

CARMIM com certificação integrada de toda a gestão


A Carmim, maior produtora de vinhos do Alentejo, e PME Excelência, recebeu na passada sexta-feira os diplomas de certificação conjunta dos seus Sistemas de Gestão da Qualidade, Gestão Ambiental e de Gestão de Segurança Alimentar, tornando-se assim na primeira empresa em Portugal a receber da APCER este tipo de certificação integrada de gestão dentro do sector.

Para José Canita, Director Geral da Carmim, «este é um passo que muito nos orgulha, e que há algum tempo perseguíamos. Num mercado em constante e rápida mudança, os desafios para o desenvolvimento sustentável são prioridades para qualquer organização, sendo o desempenho ambiental, ao nível de controlo de qualidade, e de segurança alimentar factores críticos na gestão organizacional». «A empresa tem sabido aliar a constante criação e a manutenção de mecanismos competitivos, adoptando a inovação e internacionalização como peças centrais para o seu desenvolvimento. Ao mesmo tempo, assume activamente a sua importância e potencial no desenvolvimento da região onde está implantada», continua.

Para Fernando Caldeira dos Santos, presidente da APCER, «a Certificação não é uma solução milagrosa do ponto de vista estratégico, mas sendo uma ferramenta de gestão aplicável a qualquer sector de actividade, potencia uma série de benefícios que as organizações podem obter. Estamos convictos que as certificações desta empresa constituirão uma vantagem competitiva e uma mais-valia para toda a organização, permitindo o acesso a novos mercados, por um lado, e a conquista de novos clientes, por outro». 

A Carmim, que já tinha merecido a classificação de PME Líder, fruto da sua solidez financeira, vê assim os seus procedimentos internos reconhecidos pela Associação Portuguesa de Certificação, a única Entidade Portuguesa representante da rede internacional de entidades certificadoras IQNet (The International Certification Network) o que permite o imediato reconhecimento Internacional das entidades certificadas pela APCER.

A empresa foi reconhecida em três âmbitos:

·      ISO 9001:2008 – sistema de gestão da qualidade)
A norma ISO 9001 constitui uma referência internacional para a Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade. Reconhece o esforço da organização em assegurar a conformidade dos seus produtos e/ou serviços, a satisfação dos seus clientes e a melhoria contínua. A Certificação do Sistema de Gestão da Qualidade é dirigida a qualquer organização, pública ou privada, independentemente da sua dimensão e sector de actividade. 

·      ISO 14001:2004 – sistema de gestão ambiental)
Os desafios para o desenvolvimento sustentável são prioridades para qualquer organização, sendo o desempenho ambiental indissociável da gestão organizacional. Assim, a protecção ambiental e a prevenção da poluição são preocupações actuais para qualquer organização, sendo necessária a implementação de práticas e ferramentas que permitam melhorar o seu desempenho ambiental, alcançando uma confiança acrescida pelas partes interessadas.

·      ISO 22000:2005 – sistema de gestão da segurança alimentar)
A certificação de acordo com a ISO 22000:2005 demonstra o compromisso com a Segurança Alimentar e a satisfação do cliente, apoiando a Organização na protecção da sua imagem corporativa e valorização da sua marca. A ISO 22000:2005 é uma norma de certificação internacional que define os requisitos para sistemas eficazes de Gestão da Segurança Alimentar. Pode ser aplicada a qualquer elo da cadeia desde agricultores, produtores pecuários, fabricantes de rações, todas as agro-indústrias, distribuição, retalhistas e restauração, e até mesmo a actividades conexas como os transportes e armazenamento, fabricantes de embalagens, pesticidas, aditivos, etc.
2012-03-01 14:03
Fonte: aicep Portugal Global

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

O que o município de Esposende gasta por ano em recolha de resíduos daria para construir um novo Centro de Educação Ambiental.

 A notícia que em baixo transcrevo chamou-me a atenção pelo comentário do presidente da câmara municipal de Esposende "O que o município de Esposende gasta por ano em recolha de resíduos daria para construir um novo Centro de Educação Ambiental" , não seria necessário contruir mais infraestruturas mas poderia ser interessante o investimento noutros municípios em ações de sensibilização e educação ambiental para melhorar o ambiente e a reduzir a despesa com os resíduos urbanos.
MF
O motociclista Paulo Gonçalves, de Esposende, é o rosto da nova campanha de sensibilização ambiental, com vista a cativar os mais jovens para a importância da reciclagem.
A imagem que circulará pelo concelho com outdoors onde se poderá ver Paulo Gonçalves a reciclar, foi, ontem, apresentada ao público no Centro de Educação Ambiental (CEA), perante uma plateia de motards que fizeram questão de ali marcar presença, homenageando, também, o motociclista.

“É um grande orgulho para mim fazer parte desta campanha e espero que os jovens me reconheçam pelas minhas participações no Dakar e se sintam, também, incentivados a reciclar cada vez mais e cada vez mais cedo, valorizando o papel que a reciclagem desempenha na sociedade de hoje rumo a um futuro melhor”, assegurou o motociclista.

“Quanto mais separação fizermos, mais estaremos a ajudar o meio ambiente”

O presidente da câmara de Esposende, João Cepa, apontou para a importante vertente educacional desta campanha, que pretende chegar “às gerações mais novas”.
“Quanto mais separação do lixo fizermos, mais estaremos, dessa forma, a ajudar, também, o nosso meio ambiente e, por outro lado, a ajudar o próprio município a poupar muito dinheiro na recolha e deposição dos mesmos no aterro sanitário”, esclareceu. O edil de Esposende indicou, mesmo, que ao nível do município esposendense, “só aquilo que se gasta, por ano, daria para construir no concelho um novo equipamento como este CEA ou um centro escolar, por exemplo”.

‘Pare, Separe, Recicle. Ajude o Ambiente’ - é a mensagem que irá acompanhar o rosto de Paulo Gonçalves nesta grande campanha de sensibilização vocacionada para os mais jovens.
“Esta é mais uma forma que encontrámos para apelar à recolha selectiva, com o objectivo de aumentar os rácios no concelho de Esposende”, destacou Alexandra Roeger, presidente do Conselho de Administração da Esposende Ambiente.
Autora do artigo original: Marta Caldeira

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Bragança: reservas de água a níveis do Verão


Câmara já deixou de regar os jardins


As reservas de água para abastecimento à população de Bragança encontram-se a níveis do Verão, uma «situação inédita» que nem o município consegue perspectivar como irá evoluir se o tempo seco perdurar.

«É uma situação que nunca vivemos», afirmou à Lusa o vereador Rui Caseiro, explicando que o município já está a recorrer, com quatro meses de antecedência, aos sistemas alternativos, que normalmente só são accionados próximo do Verão.

A barragem da Serra Serrada, a única reserva de água a que a câmara recorrer apenas também durante o Verão, ainda não está a ser utilizada, mas encontra-se apenas a «86 por cento da sua capacidade» por falta de chuva, segundo o vereador.

Num ano normal, a conduta provisória que transporta água directamente do rio Sabor seria suficiente para abastecer a cidade e só mais tarde, em Junho, é que o município recorreria aos sistemas de Cova de Lua e do Baceiro.

Se não chover, à autarquia só restará activar o plano de contingência que contempla, em primeiro lugar, «ir buscar água onde existir (outras nascentes)», depois o transporte em camiões cisterna, como já aconteceu em Novembro e, por último, o condicionamento no abastecimento à população.

A autarquia deixou, entretanto, de regar os jardins municipais, apesar de os sistemas de rega serem autónomos do abastecimento público, «para dar o exemplo e porque os munícipes não entenderiam que se estivesse a regar os jardins, num momento em que escasseia a água».

Em último recurso, segundo ainda Rui Caseiro, os sistemas para rega de jardins poderiam ser também utilizados para garantir água à população, se a situação de seca fosse extrema

Fonte: tvi24

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

SEMINÁRIO “TRANSPOSIÇÃO DA DIRETIVA QUADRO DOS RESÍDUOS E A REVISÃO DO PERSU II”

Teve lugar no passado dia 16 de fevereiro no Auditório Lipor da CVO o seminário “Transposição da Diretiva Quadro dos Resíduos e a revisão do PERSU II”. Este seminário contou com a presença de vários peritos Europeus em matéria de resíduos, nomeadamente a Dr.ª Ellla Stengler, diretora operacional da CEWEP (Confederação das Centrais de Valorização Energética Europeias), Mr. Jean-Pierre Hannequart, diretor-geral do IBGE/BIM (Instituto para a gestão ambiental de Bruxelas) e Mr. Angel Homar, Presidente da AEVERSU (Associação Espanhola de Centrais de Valorização Energética e Resíduos Urbanos) e Vice-presidente da CEWEP, entre outros, e peritos nacionais dos quais se destacam o Dr. José Eduardo Martins, ex-secretário de estado do ambiente e especialista em direito do ambiente e energia e o Eng.º Rui Nobre Gonçalves, Vogal do Concelho de Administração da EGF (Empresa Geral do Fomento). O objetivo deste seminário foi debater e conhecer melhor o Documento que é a trave mestra da moderna Gestão de Resíduos, a nova Diretiva Quadro.
Presidiu à sessão de abertura S. Exa. o Sr. Secretário de Estado do Ambiente e Ordenamento do Território, Dr. Pedro Afonso de Paulo, que traçou as linhas orientadoras da Política de Resíduos do nosso País para os próximos anos.
O seminário contou com mais de 200 inscritos e foi um momento chave de troca de ideias e esclarecimento de dúvidas. 



A AMBIEDUCA esteve presente no Seminário e destaca a intervenção do Dr. José Eduardo Martins, ex-secretário de estado do ambiente e especialista em direito do ambiente e energia que de uma forma clara e pertinente enquadrou a evolução "positiva" da Gestão de Resíduos em Portugal e evidenciou alguns aspectos mais delicados que podem por em causa a continuidade de uma evolução positiva em matéria de gestão de resíduos, como é a falta de entendimento entre os "administradores" (administração central e local) e os administrados (cidadão comum) que tem de cumprir com as suas obrigações em matéria Ambiental apoiados numa diversidade de diplomas  por vezes vagos, contraditórios e que com tanta produção legislativa se possa perder os princípios fundamentais que é a proteção ambiental e a garantia da saúde pública.

Fonte: Lipor

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

CCDR-N REAJUSTA REDE DE MONITORIZAÇÃO DA QUALIDADE DO AR NA REGIÃO DO NORTE


A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), entidade responsável pela recolha, acompanhamento e a divulgação dos dados que resultam da medição diária de poluentes atmosféricos na região, reformulou a Rede de Monitorização da Qualidade do Ar (RMQA) da Região Norte, tornando-a mais representativa e mais ajustada à realidade da região.
A partir dos dados da qualidade do ar recolhidos entre 2005 e 2010, e tendo por base critérios legais como a densidade populacional, o número mínimo de pontos de amostragem para medição fixa de cada um dos poluentes e ainda alguns requisitos para avaliação dos níveis de concentração de poluentes, a RMQA passou a integrar, desde o início do ano, 21 estações de medição com 69 analisadores.
Na prática, e como se concluiu que havia estações com baixa representatividade, foram desativadas as estações de medição de Águas Santas (Maia), Baguim do Monte (Gondomar) e Calendário (Famalicão).
Nesta reformulação, foram, ainda, relocalizadas para novos locais algumas estações de medição, passando a ser mais representativas dos concelhos onde se inserem. São exemplos as estações da Boavista, Matosinhos, Espinho e Vila do Conde.

Fonte: CCDR-N

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Plantar árvores faz bem ao coração e ao mundo! :)

Nos próximos fins de semana plantaremos mais árvores na Maia, Gondomar, Trofa, Arouca...

11 de fevereiro 2012 | Maia | 9h30 - 12h30 | Plantação de 30 sorveiras, 30 sabugueiros, 30 sanguinhos de água e 10 ulmeiros no Parque do Avioso, junto à ribeira do Arquinho, assim como reposição eventual de exemplares secos decorrentes da primeira ação realizada em Outubro.

18 de fevereiro 2012 | Gondomar | 9h00-12h30 | Pretende-se plantar 200 árvores numa área que está atualmente dominada por explorações de eucalipto de modo a criar faixas que interrompem a monotonia desta monocultura. Vamos criar um pequeno oásis. 
25 de fevereiro 2012 | Trofa | 9h30-12h30 | Durante esta manhã de trabalho na Sardoeira o objetivo é plantar cerca de 1.500 carvalhos e outras espécies nativas da área neste terreno cedido pelos seus proprietários para o projeto das 100.000 árvores.

3 de março 2012 | Arouca | 9h30-17h00 | Durante o dia o objetivo é plantar 2.000 vidoeiros, castanheiros e carvalhos-alvarinho, árvores nativas da área que contribuirão para restaurar o ecossistema na área dos Viveiros da Granja. Esta ação é apoiada pela EDP-Gás. Colabora a CCDR-N e a AFN.

Se estiver interessad@ em vir plantar estas árvores connosco inscreva-se aqui*

Estas ações estão integradas no FUTURO – projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto promovido pelocre.porto, no qual se prevê reflorestar até 2015 cerca de 100 hectares de áreas ardidas, livres ou que necessitam de reconversão, com cerca de 100.000 árvores de espécies nativas da região, o que permitirá anular 20.280 toneladas de dióxido de carbono da atmosfera ao longo dos próximos 40 anos. Para além de enriquecer a biodiversidade e melhorar a qualidade do ar, este projeto irá contribuir para uma melhor qualidade de vida.

Até ao momento (entre 29 out. 2011 e 4 fev. 2012) já foram plantadas 8.020 árvores nativas na Área Metropolitana do Porto com a ajuda de mais de 1.150 voluntários. As ações são desenvolvidas em articulação e colaboração permanente com as Câmaras Municipais (Gabinetes Técnicos Florestais), Associações de Proprietários Florestais, equipas de Sapadores Florestais, Autoridade Florestal Nacional.

cre.porto - Centro Regional de Excelência em Educação para o Desenvolvimento Sustentável da Área Metropolitana do Porto - é uma rede com entidades públicas e privadas que atuam na área da educação-ação dos cidadãos para um futuro mais sustentável. As ambições do cre.porto são aumentar a colaboração, criar sinergias, definir e adotar padrões de qualidade e excelência, valorizar os recursos ativos do espaço metropolitano, estimular a formação, o conhecimento e a participação dos cidadãos na melhoria do ambiente.

* as inscrições ainda não foram abertas para todos os locais e datas. Para estar a par de todas as novidades subscreva o nosso blogue http://embaixadadafloresta.blogspot.com/ ou seja nosso amigo no facebook: http://www.facebook.com/cre.porto